Nietzsche I - Forense Universitária

Editora: Forense Universitária

Autor: Martin Heidegger

ISBN: 9788521804116

R$238,00 R$200,00
ADICIONAR AO CARRINHO

Disponibilidade: Pronta Entrega

Nº de Páginas: 510

Encadernação: Brochura

Ano: 2007

Título: Nietzsche I - Forense Universitária

Editora:Forense Universitária

Autor: Martin Heidegger

ISBN: 9788521804116

Disponibilidade: Pronta Entrega

Nº de Páginas: 510

Encadernação: Brochura

Ano: 2007

Resenha:

As preleções em torno da obra de Friedrich Nietzsche que se encontram traduzidas pela primeira vez para a língua portuguesa no presente livro foram realizadas por Martin Heidegger na Universidade de Freiburg entre os difíceis anos 1936 e 1939. Nessas preleções temos a oportunidade de acompanhar, antes de mais nada, o encontro decisivo de dois dos pensadores mais centrais para todos os desdobramentos ulteriores da filosofia contemporânea. Seria difícil compreender a filosofia do século XX sem a influência corrosiva e libertadora da postura antidogmática de Nietzsche, assim como seria quase impossível imaginar a filosofia do século XX sem a luta heideggeriana contra as sedimentações da linguagem e sem o seu empenho pela constituição histórica de novos projetos de mundo. O que temos aqui, com isso, é uma oportunidade ímpar de acompanhar um real diálogo entre pensadores decisivos, fundamentais. Um diálogo entre pensadores. É disso que se trata basicamente neste texto publicado em dois volumes.


SUMÁRIO:
PREFÁCIO 
I - VONTADE DE PODER COMO ARTE
Nietzsche como pensador metafísico 
O livro A vontade de poder 
Planos e trabalhos preliminares para a obra capital
A unidade entre vontade de poder, eterno retorno
e transvaloração
A estrutura da "obra central"
O modo de pensar nietzschiano como inversão 
O ser do ente como vontade na tradição metafísica
A vontade como vontade de poder 
Vontade como afeto, paixão e sentimento
A interpretação idealista da doutrina nietzschiana da vontade 
Vontade e poder. A essência do poder 
A pergunta fundamental e a pergunta diretriz da filosofia
Cinco sentenças sobre a arte 
Seis fatos fundamentais a partir da história da estética
A embriaguez como estado estético 
A doutrina kantiana do belo. Sua interpretação equivocada
por meio de Schopenhauer e de Nietzsche
A embriaguez como força conformadora
O grande estilo 
A fundamentação das cinco proposições sobre a arte
A discórdia provocante entre verdade e arte 
Verdade no platonismo e no positivismo. A tentativa
nietzschiana de uma inversão do platonismo a partir
da experiência fundamental do niilismo 
Esfera e contexto da meditação platônica sobre a relação
entre arte e verdade
A república de Platão: o distanciamento da arte (mimese)
em relação à verdade (idéia) 
O Fedro de Platão: beleza e verdade em uma profícua
"discórdia" 
A inversão nietzschiana do platonismo 
A nova interpretação da sensibilidade e a discórdia estimulante
entre arte e verdade 
II - O ETERNO RETORNO DO MESMO 
A doutrina do eterno retorno como pensamento fundamental
da metafísica de Nietzsche 
O surgimento da doutrina do eterno retorno 
A primeira comunicação nietzschiana da doutrina do eterno
retorno 
"Incipit tragoedia"
A segunda comunicação da doutrina do eterno retorno
"Da visão e do enigma"
Os animais de Zaratustra
"O convalescente" 
A terceira comunicação da doutrina do eterno retorno 
O pensamento do eterno retorno
nas anotações não publicadas
As quatro anotações de agosto de 1881
Apresentação resumida do pensamento: o ente na totalidade
como vida, como força; o mundo como caos
Suspeita ante a "humanização do ente" 
A prova nietzschiana da doutrina do retorno
O procedimento supostamente científico-natural no curso da
demonstração. Filosofia e ciência
O caráter da "prova" da doutrina do retorno 
O pensamento do retorno como uma crença 
O pensamento do retorno e a liberdade 
Retrospecto sobre as anotações oriundas do período de
A gaia ciência (1881-1882)
XX Martin Heidegger - NIETZSCHE
As anotações do período de escrita de Zaratustra (1883-1884)
As anotações oriundas do período de A vontade de poder
(1884-1888)
A figura da doutrina do retorno 
O domínio do pensamento do retorno: a doutrina do retorno
como superação do niilismo 
Instante e eterno retorno 
A essência de uma posição metafísica fundamental.
Sua possibilidade na história da filosofia ocidental 
A posição fundamental nietzschiana
III - A VONTADE DE PODER COMO CONHECIMENTO 
Nietzsche como pensador do acabamento da metafísica
A assim chamada "obra capital" de Nietzsche
A vontade de poder como princípio
de uma nova instauração de valores 
O conhecimento no pensamento fundamental
de Nietzsche sobre a essência da verdade 
A essência da verdade (correção) como "avaliação"
O suposto biologismo de Nietzsche
A metafísica ocidental como "lógica" 
A verdade e o verdadeiro
A oposição entre "mundo verdadeiro e mundo aparente"
remonta a relações valorativas 
Mundo e vida como "devir" 
O conhecer como esquematização de um caos
segundo um carecimento prático 
O conceito de "caos" 
O carecimento prático como carecimento de esquemas.
Formação de horizonte e perspectiva
Acordo e cálculo
A essência poetizante da razão 
A interpretação "biológica" do conhecimento dada por
Nietzsche
O princípio de não-contradição como um princípio
do ser (Aristóteles) 
Sumário XXI
O princípio de não-contradição como comando (Nietzsche)
A verdade e a diferença entre "mundo verdadeiro
e mundo sensível"
A transformação extrema da verdade metafisicamente
concebida
A verdade como justiça
O primeiro caminho 
O outro caminho
A essência da vontade de poder. A permanência do devir na
presença

Filosofia

Introdução ao Direito -> Filosofia do Direito