Força de Lei

Editora: WMF Martins Fontes

Autor: Jacques Derrida

ISBN: 9788578271466

R$150,00
ADICIONAR AO CARRINHO

Disponibilidade: Pronta Entrega

Nº de Páginas: 145

Encadernação: Brochura

Ano: 2010

Título: Força de Lei

Editora:WMF Martins Fontes

Autor: Jacques Derrida

ISBN: 9788578271466

Disponibilidade: Pronta Entrega

Nº de Páginas: 145

Encadernação: Brochura

Ano: 2010

Resenha:

Tirania, essa velha palavra que nos vem da Grécia, como ouvi-la ainda, e com outros ouvidos? O que seria hoje a tirania? Este ensaio trata das relações entre o direito e a justiça, mas também entre o poder, a autoridade e a violência.

Este ensaio trata das relações entre o direito e a justiça, mas também entre o poder, a autoridade e a violência. A justiça nunca é esgotada pelas representações e pelas instituições jurídicas que tentam ajustar-se a ela. O justo transcende sempre o jurídico, certamente, mas não existe justiça que não deva inscrever-se num direito, num sistema e numa história da legalidade, na política e no Estado. Mesmo que, por sua vez, o direito prime pela força, se esse é seu dever, não há direito que não implique nele mesmo o poder de usá-la, uma técnica, pois, e a possibilidade da guerra. Não há direito sem constrangimento, lembra Kant. Aquilo que pretende ter força de lei inscreve, portanto, o apelo à força nc próprio conceito de sua autoridade. O risco de tirania não espera mais, ele espreita na origem da lei. Ele vela sobre sua conseqüência, sobre aquilo que Pascal chama, num pensamento tão conhecido mas tão enigmático, o seguimento "Justiça, força. - É justo que o que é justo seja seguido, é necessário que o que é mais forte seja seguido. A justiça sem a força é impotente; a força sem a justiça é tirânica [...] É preciso, pois, colocar juntas a justiça e a força..." Retomando uma expressão de Montaigne, Pascal fala também de um "fundamento místico" da "autoridade": "Quem a traz de volta a seu princípio, aniquila-a."
Tal aniquilamento pode tomar várias direções. Trata-se, aqui, de analisar essa multiplicidade.

Jacques Derrida

Jacques Derrida (El Biar, Argélia, 15 de julho de 1930 - Paris, 8 de outubro de 2004) foi um pensador e escritor francês de origem argelina, conhecido principalmente como criador da desconstrução.

Obra
A Teoria Organizacional
Jacques Derrida foi um dos ícones da Abordagem Pós-Modernista na Teoria das Organizações - TO. Para Derrida, a teoria da desconstrução consiste em desfazer o texto a partir do modo como este foi organizado originalmente para que, assim, sejam revelados seus significados ocultos. Para alguns, a desconstrução pode sugerir uma destruição, mas trata-se do oposto, pois ela busca encorajar a pluralidade de discursos, legitimando a não existência de uma única verdade ou interpretação, com um caráter de disseminação de possíveis e novas verdades. Para Derrida, o processo de racionalidade instrumental aprisiona as ações sociais, refletindo na concepção de justiça como expresso em seu texto Força de Lei. Ainda, o discurso e o conhecimento necessitam ser construídos de forma diferenciada. O autor pós-moderno localiza suas interpretações na estruturação e lógica dos textos, por serem estes as fontes primárias dos discursos políticos, sociais e culturais. Também, é através dos textos que os atores sociais transmitem suas idéias, como reflexo de seus pensamentos.

A Desconstrução
Um dos seus postulados mais polêmicos e originais é conhecido como "desconstrutivismo". Em textos como Escritura e Diferença e Pensar a Desconstrução, Derrida desenha uma realidade estrutural movediça, isto é, que não requer garantias mestafísicas ou critérios fixos para impor-se como realidade, que permanece paradoxalmente insubordinada à tentativa de sua apreensão pelo pensamento, enquanto se estende para este próprio pensamento. Este "ser e não ser" das coisas implica num processo permanente de atravessamentos e mudanças chamado de desconstrução. Nesse ponto, a tarefa da filosofia seria anunciar possibilidades. Se isso não ocorrer, teremos o contrário, ou seja, a perpetuação do desenvolvimento tecnocientífico a serviço da dominação e da homogeneização dos indivíduos.

Direito Constitucional

Introdução ao Direito -> Filosofia do Direito