Sociologia do Campo Jurídico

Editora: Sergio Antonio Fabris Editor

Autor: Fabiano Engelmann

ISBN: 9788575253565

R$57,00
ADICIONAR AO CARRINHO

Disponibilidade: Pronta Entrega

Nº de Páginas: 214

Encadernação: Brochura

Ano: 2006

Título: Sociologia do Campo Jurídico

Editora:Sergio Antonio Fabris Editor

Autor: Fabiano Engelmann

ISBN: 9788575253565

Disponibilidade: Pronta Entrega

Nº de Páginas: 214

Encadernação: Brochura

Ano: 2006

SUMÁRIO:
Apresentação
CAPÍTULO I
Noções Referenciais e Condições
para uma Sociologia do Campo Jurídico

CAPÍTULO II
Tradição e Diversificação nos Usos do Direito
2.1 A estruturação da tradição jurídica: o direito
enquanto meio de conservação da ordem social
2.2 Diversificação do espaço jurídico: o direito
como instrumento de "transformação social"
2.3 O ensino universitário como lugar de produção
do "direito alternativo"
2.4 As definições das carreiras de Estado e a
"politização'' do direito na década de 90
2.5 Engajamento da advocacia e produção de causas coletivas

CAPÍTULO III
A Formação da Tradição Jurídica:
o caso representativo do Rio Grande do Sul
3.1 A descentralização do "bacharelisrno"
3.2 A formação dos "juristas católicos"
3.3 O "pensamento jurídico" do Rio Grande do Sul

CAPÍTULOIV
Expansão do Ensino Jurídico e
Legitimação da Especialização Acadêmica
4.1 A ascensão dos "especialistas em ensino" e sua
legitimação no campo jurídico na década de 80 e 90
4.2 As lutas em torno da definição do ensino jurídico legítimo: a invenção de uma especialidade
4.3 A ocupação das comissões de especialistas em ensino jurídico do Ministério da Educação e da Ordem dos Advogados do Brasil
4.4 O espaço da pós-graduação em direito e as lutas pela definição do direito
4.4.1 A formação da pós-graduação em direito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
4.4.2 A formação da pós-graduação em direito
da Universidade Federal de Santa Catarina
4.5 A expansão da pós-graduação em Direito no Rio Grande do Sul
CAPÍTULO V
Engajamento e Campo Jurídico: Usos "Políticos" do Direito
5.1. O uso da Constituição e dos "princípios gerais
de direito" contra o "direito tradicional"
5.2. A constituição do "movimento do direito alternativo"
5.2.1 A formação do grupo dos magistrados alternativos
5.3 A aliança entre os "especialistas em ensino" e o "grupo de magistrados do Rio Grande do Sul" e a ampliação do "movimento do direito alternativo" na década de 90
5.4 Advocacia e militantismo
5.4.1 Advocacia, militantismo, direitos humanos e feminismo .
5.4.2 Advocacia, militantismo, direitos humanos e catolicismo social
CAPÍTULO VI
Associativismo e Definição do "Papel Político"
da Magistratura e do Ministério Público
6.1 A Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul:
Lutas corporativas, "democratização do
Judiciário" e defesa do "acesso à Justiça"
6.1.1 As disputas em torno da definição da
"reforma do Judiciário"
6.2 A Associação dos Juízes para a Democracia
6.3. A Associação dos Magistrados do Trabalho e a
"defesa dos trabalhadores" e as "teses coletivas"
6.4 O Associativismo no Ministério Público e o
engajamento dos promotores na redefinição
institucional na década de 90
CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS

Introdução ao Direito

Introdução ao Direito -> Sociologia do Direito